Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Amigos dos Animais

Este blog tem o intuito de ajudar os nossos leitores a entender melhor os seus animais.

Amigos dos Animais

Este blog tem o intuito de ajudar os nossos leitores a entender melhor os seus animais.

Os arranhadores são importantes?

Na foto está o Gattuso (pretinho)  e o Pepe.
No inicio gostaram do arranhador, era novidade. O Pepe com sua fofura tinha dificuldade em sair do buraco, quando deixou de ser novidade passavam e nem ligavam, até que resolvi vender o arranhador. E vocês tem arranhador, os vossos felinos gostam? Depois descobri que gostavam mais de caixas de cartão.


Todos os animais domésticos precisam de se manter ativos ao longo da vida. Principalmente, quando são filhotes, estão sempre à procura de elementos para brincar e desenvolver os instintos, sobretudo o de afiar as unhas.
As unhas dos felinos nunca param de crescer, por isso, periodicamente, precisam de as gastar. Caso contrário, ficam incomodados com as unhas grandes.
Na natureza, os felinos arranham pedras e troncos de árvores como forma de marcar território. Além disso, o ato de arranhar é um relaxante alongamento para os músculos e tendões. Outro motivo que nos faz afiar as unhas é a necessidade de chamar a atenção do dono e, frequentemente, os animais que ficam muito tempo sozinhos passam a ter essa necessidade.

O resultado são móveis arranhados, sofás rasgados e um prejuízo considerável para os donos. Os arranhadores para gatos são, assim, uma excelente opção para resolver esse problema e sanar esta nossa necessidade, sem causar danos em casa enquanto brincamos. Os donos não devem impedir-nos de expressar o nosso instinto natural, pois isso pode resultar em animais desequilibrados, reprimidos e agressivos, além de prejudicar seriamente a nossa saúde e bem-estar.

Mas no caso de não gostarem do arranhador uma maneira barata e prática, é trazer caixas de cartão para os gatos brincarem, eles adoram. E quando estiverem gastas é só trazer novas!!

Perdida ou abandonada!?

perdida.jpg

Esta canino, não sei se cão ou cadela está nesta porta assim, paradinha . Parece-me doente. Suponho que seja de alguém do prédio. Pode ter passado a noite fora e que agora esteja só á espera que o dono a encontre...

Se calhar eu devia de tomar uma atitude, nem sei bem o que fazer.

Boas festas

PRESEPIO-CAES-2[1].jpg

Feliz Natal

image.php.jpg

 Os Amigos dos Animais desejam a todos um Feliz Natal na companhia dos seus queridos Amigos Animais.

Gattuso e o corneto

Uma vez estava a comer um corneto de morango e o Gattuso ainda jovem, ficou a olhar e a lamber-se, parecia os miúdos a pedir doce...

Então dei um bocadinho para ele provar e ele gostou!!

Na altura até falei com a marca Olá de gelados se queriam fazer publicidade.

Até tenho um video, mas deixo aqui uma foto.

Só foi um bocadinho, não resisti ao ver o olhar dele.


Um Empréstimo de Deus

Deus prometeu no nascimento, que um amigo especial seria dado,
Seu tempo na terra é curto, então Ele disse - "amá-lo enquanto ele vive.
Pode ser seis ou sete anos, ou doze ou dezasseis anos,
mas você vai, até eu chamá-lo de volta, cuidar dele para Mim?"

 
~Seja qual for o animal que você escolha será um amigo para sempre e terá
um coração tão grande quanto todo ar existente, e irá amá-lo através dos anos.

O animal vai alegrar seus caminhos e com suas brincadeiras, colocar sorrisos na sua face.  Ele vai ser fiel e amigo durante todo o tempo.

E quando você estiver se sentindo triste, de alguma forma ele vai reparar em você com os olhos a brilhar e tentar lamber sua mão. Ele vai trazer seus encantos para alegrar a sua vida e, apesar de sua estadia ser breve, quando partir as memórias, serão consolo para sua dor.

Seja qual for o amor que você dará a ele, retornará em triplo, aproveite cada dia a seu lado, deixe seu coração guiar. Seja leal e constante no amor, como o animal ao seu lado. Agora você vai dar-lhe todo o seu amor, não será muito difícil.




Não me odeie quando chegar o momento em que retornarei, para levá-lo de volta.
Gostaria que cada um dissesse: "Querido Senhor, seja feita a sua vontade por toda alegria que teremos a graça de partilhar, vamos correr o risco de passar por este triste momento”.

(Autor desconhecido)

Alguma consciência por favor...

Hoje de manhã estava a sair do shopping a caminho de casa quando cruzei-me com um casal de senhores já com alguma idade que passeavam com um cão, o cão ía sem trela, muito meiguinho e energético, claro que não resisti a fazer-lhe uma festinha, só fiquei com o coração nas mãos com o que veio a seguir...

11 da manhã, estrada movimentada, toda a gente com pressa, buzinadelas por todo o lado e o cão a saltitar de um lado para o outro da estrada , com muitas pessoas (felizmente atentas) a travarem atempadamente e os donos lá em tom de maçada a dizerem: sai da estrada vá lá... 

O pequenito coitado, completamente alheio à maldade das pessoas com os patudos, saltitava de um lado para outro mal visse alguma coisa que o chamasse à atenção, e isto sempre sobre o olhar dos donos atentos mas calados, claro que pelo meio existiram umas travagens a fundo e algumas pessoas a reclamarem de forma muito mal educada (que desculpem-me até entendo nesta situação).

Nisto o cão volta a fazer o mesmo repetidas vezes e eu já com o sangue a fervilhar tenho mesmo que me dirigir ao casal uma segunda vez e dizer : - se for para o cão morrer ao menos metam-lhe uma trela ou ponham outra pessoa a passeá-lo por favor! Pelo menos serviu para ficarem atrapalhados e andarem mais atentos já que toda a gente assistiu aquela autêntica palhaçada! Pelo caminho ainda fui tendo que chamar o cão para o passeio porque aquilo já me estava mesmo a fazer muita confusão e lá tive de o deixar mas fui a rezar pelo caminho para que mal eu virasse costas ele não fosse atropelado.

Eu com o meu pequeno só o solto nos parques e mesmo assim dou sempre um primeiro passeio para ver se há cães mais agressivos ou algo que possa magoá-lo pelo caminho, tenho a noção que o meu cão não tem disciplina suficiente para passear por aí sem trela. Já uma vez conseguiu-se soltar e não ficou debaixo de um carro por pouco... 

Estas pessoas que não se preocupam mínimamente com os pequenos que têm em casa nem deviam tê-los por perto... Desculpem mas revolta-me...

A primeira ninhada de cães fertilizados "in vitro"

Cientistas conseguiram pela primeira vez conceber cães em laboratório, um processo que poderá ter implicações na conservação de espécies em risco.

Uma boa maneira de proteger as espécies em risco, ótima notícia!

Uma linda ninhada de beagles!

Cool Dog

Cool Dog.JPG

Este é um livro que posso recomendar a qualquer pessoa que lide com cães diariamente ou que revele um grande interesse pelos mesmos. São vários os domínios abrangidos de um modo objectivo e simples. Esta leitura possibilita uma compreensão do desenvolvimento desde o nascimento até à geriatria, informação pertinente em relação à alimentação, educação, reprodução, higiene e também conteúdo relativo a um domínio que pode fazer toda a diferença, os primeiros socorros. Para além da grande utilidade, fiquei a perceber um pouco melhor como ocorre o processo de cuidado e educação do cão de assistência, neste caso do cão-guia. Na compra do livro 1€ reverte para a Associação Beira Aguieira de Apoio ao Deficiente Visual, a única em Portugal especializada na formação de Cães-guia para cegos. Confesso que fiquei algo surpreendida por ser a única!

Já que é Natal (ou quase) esta pode ser uma excelente prenda para quem não passa sem estes amigos de quatro patas

Amigos para a vida...

12241407_426618107538273_7095807746032379867_n.jpg

Olá! Venho com algum tempo finalmente presentear-vos com o meu primeiro post, e porque estou muito grata  por ter sido convidada a participar num espaço tão bonito, vou contar-vos a minha história e a do Mickey.

O Mickey é um yorkshire terrier que já vai fazer os seus 3 aninhos, na altura em que o adoptei estava desesperadamente a precisar de uma companhia e nunca tinha tido condições para ter um cão em apartamento, entretanto com as minhas poupanças a aumentarem consideravelmente pensei que me podia dar a esse luxo, a maneira como o conheci não foi a mais certa (comprei-o) fui até à clínica veterinária onde costumava tratar a sininho (a minha gata) e cruzei me com o Mickey minísculo e indefeso com apenas dias de vida, estava acompanhado com a dona que foi certificar-se que os pequenos estavam bem de saúde, aproveitei e falei logo com ela, fui apanhada desprevenida, apaixonei-me por ele entre as visistas que lhe fui fazendo e algum tempo depois percebi que podia ter adoptado um animal de um canil que estivésse em situação de risco, mas naquela altura como vos disse, só pensava desesperadamente em ter uma companhia e não pensei em mais nada.

3 meses depois estava ele em minha casa, sendo que como era o meu primeiro cão tive um montão de dúvidas que coloquei na clínica, pouco depois conclui que também só me queriam vender o mickey pois muitas das coisas que me disseram estavam completamente erradas (o que não é nada ético convenhamos), o mickey não foi um animal fácil de educar, na clínica fizeram-me um filme cor de rosa e a educação dele levou tempo e paciência ao contrário do que me passaram.

O motivo da minha necessidade de um amiguinho urgente, era o facto de estar muito magoada com a minha família, de estar numa fase emocional muito má e de me sentir abandonada por aqueles de quem mais gostava. Nessa altura também trabalhava como uma máquina, passava dias sem comer em frente ao portátil, os meus superiores tratavam-me muito mal (abaixo do desumano) e eu estava a deixar que a minha depressão se fosse transformando numa bola de neve muito perigosa.

Acabei por ficar doente e de baixa por 2 meses, e por isso consegui acompanhar o crescimento do Mickey e fui percebendo que os cães são realmente seres maravilhosos, se ficasse tempo a mais na cama la saltava ele para cima da minha cara e levava eu com o meu cumprimento matinal, era impressionante ver a alegria dele a sair de casa, sempre se deu bem com outros animais e cada vez que íamos passear juntos o mickey fazia questão de ser o centro das atenções, actualmente estou a viver numa casa maior, mas o melhor amigo do mickey ( e agora preparem-se para ficar surpreendidos) era um rotweiller que uma senhora muito simpática tinha acolhido em situação crítica e a quem dedicou todo o seu tempo e amor (outra história apaixonante). O Mickey fazia de tudo desde puxar-lhe a cauda, lamber-lhe o focinho e o Ruca olhava para ele como quem diz (olha-me este fedelho a tentar fazer-me frente), só sei que deixava se ficar e adoravam correr juntos, cada vez que se viam era uma alegria.

Passádos dois meses voltei ao trabalho e já não podia dar tanta atenção ao meu pequeno, as coisas estávam cada vez piores embora eu estivesse a fazer um esforço sincero por ser feliz, sem apoio de mais ninguém um dia deixei-me ir completamente abaixo e tentei-me suicidar, só depois percebi o acto egoísta que tinha tentado cometer sem ter pensado nos meus pequenos, lá fiquei mais uns dias de "baixa" e nessa altura nunca vi o Mickey tão em baixo, fiquei dias deitada na minha cama à espera que alguma coisa acontecesse e o Mickey não desapareceu do meu lado por um segundo que fosse...

Desde então prometi que não ía deixar mais os meus pequenotes sozinhos, este ano, numa situação limite, ter-me despedido deste trabalho foi a melhor coisa que fiz, a minha saúde está a melhorar, tenho mais tempo e mais qualidade de vida fora o "bullying" diário de que era vítima e que hoje não tenho mais.

Deixei que a situação fosse tão longe que tive de apresentar queixa contra a empresa para que trabalhava porque cheguei a ser alvo de ameças muito graves.

Quem diria que um pequenote como o Mickey me ía ensinar tantas lições:

O Mickey ensinou-me  a ter prazer em viver a vida, a querer sair da cama e a viver, a não levar as coisas tão a sério e a ser Feliz.

Neste momento estou com muitos projectos colocados em prática e posso-vos dizer que por muitas vezes, este pequeno patudo salvou-me e impediu que a minha depressão levasse a melhor.

Já tenho consultadas marcadas com uma psicóloga, porque apesar de estar bem acredito que preciso de pôr tudo em pratos limpos. Mas, amigos como estes...

Só mesmo os patudos, por isso e por mais é que eles merecem o nosso melhor, e era essa a mensagem que queria passar!

Pág. 1/2