Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Amigos dos Animais

Este blog tem o intuito de ajudar os nossos leitores a entender melhor os seus animais.

Amigos dos Animais

Este blog tem o intuito de ajudar os nossos leitores a entender melhor os seus animais.

Um passeio no parque

Num dia de sol fomos dar um passeio no parque, tinha pombos e os patos estavam a  tomar banho num lago. Lindo dia de sol, primavera a vista, está quase!!
 



Cuidados a ter com os Gatos brancos e o sol

Os gatos brancos são bastante mais propensos a alguns problemas de saúde, nomeadamente relacionados com a pele. A pelagem branca não oferece proteção contra os raios ultravioleta emitidos pelo sol. São os pigmentos que dão cor ao pelo que oferecem esta proteção. A pelagem branca significa que os gatos não são capazes de produzir o pigmento que dá cor ao pelo. Por isso, a pelagem de cor branca não é efetivamente uma cor, mas sim a ausência dela.


Por essa razão, os gatos brancos são bastante vulneráveis a queimaduras solares e, se a exposição ao sol sem proteção for longa, podem mesmo desenvolver cancro de pele, com maior incidência na ponta das orelhas. Estes animais devem ser mantidos longe do sol nas horas em que os raios são mais fortes. Quando expostas ao sol, as zonas de pele mais sensíveis, como o nariz e orelhas, devem ser untadas com um protetor solar recomendado pelo médico veterinário.

Curiosidades sobre Canários

De temperamento calmo convivem bem com outras aves.
Os Canários vivem muito bem em qualquer ambiente, e em qualquer clima, dando-se melhor em climas temperados.
Podem ser criados numa sala de estar, numa gaiola simples, ou mesmo ao ar livre.

Família: Fringillidae
Origem: Açores, Canárias e Madeira
Tamanho médio: Alt: 13-14 cm
Expectativa de Vida: 14-15 anos


Temperamento:

Os Canários têm um ótimo convívio com outras aves e também dividem muito bem o espaço entre si, sem agressões. O único senão é não se misturarem com outras espécies de tentilhões, uma vez que podem cruzar e as crias serem estéreis. Os Canários, geralmente, gostam muito de tomar banho, razão pela qual é preciso prender uma tina de banho à gaiola.

Cuidados a ter:

Os Canários são animais granívoros, isto é, as sementes são a base da sua dieta, mas também podem comer alimentos à base de ovos ou frutas. Convém deixar disponível também arenito, que é importante para as necessidades digestivas do Canário.

Alojamento:

Deve estar num local iluminado, com uma boa circulação de ar mas é necessário evitar a corrente de ar direta e mudanças bruscas de temperatura, especialmente na altura de mudança das penas. O tamanho ideal para um casal será entre 35 e 40 centímetros de comprimento e 30 centímetros de altura e de profundidade. As aves têm preferência por um ninho aberto, que pode ser construído com uma grande variedade de materiais, entre os quais, uma corda de sisal desfiada.

Características inatas:

De forma geral, os Canários são calmos mas algumas aves podem ser mais agitadas. Mesmo os Canários mais agitados dão-se muito bem com os criadores, podendo ter uma relação até bastante próxima, sem nunca serem tão domesticados como um periquito ou um papagaio, por exemplo.


Saúde:

Os sintomas de cerca de trinta doenças diferentes são mais ou menos os mesmos, tornando-se, assim, difícil a sua definição. O pássaro perde vivacidade, fica muito quieto, como que inchado, com as penas abertas e os olhos sem brilho. Também uma gordura ou magreza excessivas, o abdómen muito encolhido ou distendido, as penas do pescoço sujas ou as narinas a supurar são sintomas certos de doença. Um pássaro doente assenta sempre nas duas pernas quando dorme, enquanto um pássaro saudável apenas dorme sobre uma.

Os segredos da Catnip

O que é, afinal, essa plantinha que deixa os gatos fascinados?

Bom, ela é mesmo só uma plantinha, uma erva da família da hortelã, chamada Nepeta cataria, ou catnip, ou erva-dos-gatos. Ela não é viciante, não faz mal nem para gatos nem pessoas. Ela só tem um cheiro que os gatos simplesmente adoram.


A reação dos gatos

Cerca de 75% dos gatos reagem à catnip, os outros são imunes – e isso é hereditário. As reações mais comuns são rolar, arranhar, morder, miar, babar e lamber a planta, tudo para tentar tirar mais cheiro ainda. Alguns peludos mais empolgados podem até comer a erva ou correr pela casa, mas, acredite, é tudo alegria. É como se você tivesse a ganhar um perfume realmente maravilhoso e entrasse em um estado de êxtase.


A química da coisa

Simplificando, a catnip é como se fosse um ferôrmonio que deixa os gatos muito alegres. Complicando com um pouco de ciência, a erva tem um composto chamado nepetalactona que entra pelo nariz dos peludos, ativa o bulbo olfatório e manda sinais para várias outras partes do cérebro, incluindo a amígdala e o hipotálamo, responsáveis pelas emoções e nossas reações a elas. É basicamente isso aqui:


Os benefícios

A catnip deixa os gatos alegres, ajuda-os a liberar a tensão, relaxar e se sentir bem. Além disso, pode ser usada para atrair o gato para os brinquedos e arranhadores dele em vez do seu sofá, para turbinar aquele ratinho de feltro que já perdeu a graça ou como complemento de quebra-cabeças.

Como dar para seu miau

O jeito mais fácil é comprar saquinhos de catnip desidratada na pet shop e espalhar no chão, num tapete, numa caixa de papelão, etc. O ideal é fazer isso uma vez por semana, já que os gatos podem se acostumar e se tornar imunes ao cheiro se forem expostos demais, crie um “Dia do Catnip” e veja o gato fazer a festa. Você também pode cultivar catnip num vaso pesado que o gato não derrube.


Curiosidades

Nossos gatinhos não são os únicos "tolinhos" por catnip, os tigres, leopardos e linces têm a mesma reação, mas os leões reagem com menor frequência.

As borboletas também reagem a catnip, mas a erva serve como repelente para mosquitos e moscas.

A catnip é usada pelos humanos para fazer chá, fumar ou temperar alimentos. Ela funciona como um calmante e acredita-se que ela tenha efeito de cura.

Gatos que não reagem à catnip podem reagir de maneira semelhante à madeira de uma planta chamada madressilva-tartárica, ou Lonicera tatarica.


Primavera - Nova estação, Novos cuidados

Com a chegada da primavera, os donos de “pets” devem tomar alguns cuidados com o “grooming” dos seus animais de companhia, cuidados esses que devem ser prolongados até ao final do verão. As estações do ano não implicam por si só o corte do pelo, que se torna, manifestamente, uma cultura mais estética e higiénica.

Isto porque a própria natureza encarrega-se de promover biologicamente o equilíbrio de calor no animal, através, nos que a isso obriga, de uma mudança de manto consoante a temperatura.

Contudo, os cuidados com o pelo dos animais são importantes em qualquer altura do ano, sendo que os “pets” vão requerer atenções diferentes consoante o tipo de pelagem. O shampoo deverá ser bem retirado para não deixar resíduos na pele. É muito importante que fique muito bem seco.

Quanto aos gatos,  não precisam de banho – basta escovar para retirar o pelo velho e alguma sujidade, podendo depois usar-se produtos próprios de limpeza a seco.

Durante a primavera, a escovagem é, de facto, importante porque a muda é mais agressiva, já que se irá soltar o manto de inverno. É, também, nessa altura que aparecem alguns parasitas menos desejáveis, de forma que a escovagem ajuda a identificar esses problemas.

As unhas são um elemento particular a ter em atenção, já que tem que se saber identificar onde acaba o sabugo para não ferir o animal. Esta condição varia de animal para animal e pode ser facilitada pela cor das unhas.
O ângulo de corte deverá ser a 45 graus e deve ser usado um alicate específico para o efeito.

A limpeza dos ouvidos deve ser feita com regularidade.
Se o animal tiver, naturalmente, pelos no interior do canal auditivo, estes deverão ser removidos para melhorar o arejamento, diminuir odores e ajudar na expulsão de sujidade. “Não se deve introduzir nenhum tipo de objetos dentro do ouvido do animal.

Apenas limpar com algodão, embebido numa solução específica, o pavilhão exterior e usar produto de limpeza auricular no ouvido, que irá desagregar a sujidade agarrada
e será expelida com o sacudir da cabeça”.

Além destes simples cuidados, que permitem manter o bem-estar e saúde do seu “pet” durante a nova estação, existem outras medidas às quais deve tomar atenção, tais como certificar-se que a vacinação dos animais está em dia, aplicar remédio contra pulgas e carraças (que se proliferam rapidamente no calor) e passear apenas em horários com temperaturas amenas.

Assim, o seu amiguinho de quatro patas poderá aproveitar, da melhor forma, estes dias mais longos e solarengos.

Pág. 5/5