Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Amigos dos Animais

Este blog tem o intuito de ajudar os nossos leitores a entender melhor os seus animais.

Amigos dos Animais

Este blog tem o intuito de ajudar os nossos leitores a entender melhor os seus animais.

5 segredos do sono dos Gatos

1. Nem sempre que estão dormindo estão dormindo. 3/4 do tempo que passam dormindo, os gatos estão na verdade tirar um soninho. Embora estejam realmente a descansar num sono leve, estão ao mesmo tempo conscientes de tudo o que acontece em volta e podem despertar num pulo caso ouçam o barulhinho de uma mosca. Por isso mesmo com sono leve eles mexem as orelhas quando você chama (embora quase nunca respondam).


2. Quando estão dormindo de verdade, eles sonham. Já reparou os bigodinhos a mexer, as orelhas a tremer ou a ponta do rabinho pulando de um lado pro outro?

E que tal as patinhas abrindo e fechando os dedinhos? Todos esses são sinais de seu gato está dormindo profundamente – e provavelmente sonhando!


Com o que eles sonham ainda é um mistério, mas deve ter a ver com muita comida que eles gostam! E caso esteja se perguntando, sim, eles também têm pesadelo, o que fica bastante evidente observando animais resgatados que passaram por traumas e têm o sono perturbado – é de cortar o coração.


3. A posição de dormir tem a ver com o tipo de sono. Quando o gato está a dormir profundamente, normalmente está de barriga para cima, com a cabeça virada e queixo também para cima, ou todo enrolado, podendo até cobrir os olhinhos com o rabo ou a patinha. Quando está apenas com sono leve, pode estar em absolutamente qualquer posição, como de barquinho (ou patinho – com as patas escondidas debaixo do corpo) ou até sentado, no peitoral da janela, em cima de uma árvore, numa caixa pequena demais para ele… Isso é possível porque quando o gato cochila seus músculos enrijecem para que ele não caia.


4. Gatos tem um ritual para acordar. E seguem o ritual à risca: piscar os olhos, bocejar, espreguiçar patas da frente, espreguiçar patas de trás, depois uma só pata de trás, depois a outra e depois lavar o rosto e tomar o banho da manhã. Depois ele provavelmente vai acordar você e pedir comida (mas isso não é parte do ritual padrão).


5. Eles são crepusculares. Isso significa que os gatos são mais ativos durante o amanhecer e o crepúsculo, mas podem dormir e acordar cheios de energia a qualquer momento. Ao contrário de nós, que dormimos oito horas seguidas, os gatos tem sono leve e dormem várias vezes por dia, totalizando de 16 a 20 horas de sono por dia. Mas… como amam muito seus humanos e querem passar conosco a maior parte possível de tempo, muitos miaus adaptam seu sono para coincidir com o nosso.

Conheça a galinha fofinha e graciosa

Conhecidas como “galinhas silkie”, são de uma raça com plumagem macia atípica. Silkie em inglês significa sedosas.
silkie 

 Estas também podem ser galinhas domesticadas, pois são muito dóceis e atenciosas podendo viver até nove anos. Alguns estudiosos afirmam que essas simpáticas galinhas foram trazidas da Ásia para a Europa cerca de 200 anos atrás, onde criadores holandeses tentaram enganar potenciais compradores dizendo que elas eram um híbrido de coelho e galinha.

As sedosas se tornaram populares como animais de estimação nas últimas décadas e podem sobreviver em climas quentes e frios, embora devam ser mantidas dentro de casa durante o inverno.

Existem em diversos tons, incluindo amarelo, azul, perdiz, preto, branco e até vermelho. Com o corpo e ossos azul escuro, lóbulos das orelhas azuis e cinco dedos em cada pé (a maioria dos frangos só possuem quatro). Aliás, essas galinhas crescem penas até nesses dedos dos pés, e tanto pelo macio as tornam incapazes de voar.

Qual o brinquedo que seus gatos gostam?

Existe uma variedade de brinquedos para gatos, seja comprados ou feitos pelos donos. Na verdade para quem tem gatos, eles também gostam de brincar com objectos proibidos, não é mesmo? Um brinquedo simples e barato é o ideal para os gatos, eles não ligam a brinquedos "xpto".

Agora partilhem quais são os brinquedos que vossos gatos gostam.


Austrália: serviço gratuito permite a cidadãos sem cães passar algum tempo com os animais

A Austrália acabou de lançar o seu primeiro serviço de partilha de cães que une os cidadãos que adoram animais mas não têm condições para os ter em casa, com os que, tendo cães, por vezes não têm tempo para os passear ou passar algum tempo a brincar com eles.



O serviço chama-se Dogshare e procura juntar os amantes de cães: quem não tem possibilidade de ter um amigo de quatro patas pode candidatar-se a passear um destes animais, brincar com ele e dar-lhe algum carinho. Não existe nenhum tipo de dinheiro envolvido no serviço.


Segundo o Gizmodo, o Dogshare pretendia, inicialmente, ligar os donos de cães de uma respectiva localidade, permitindo que estes trocassem dicas sobre melhor cuidar dos seus animais e, inclusive, se ajudassem mutuamente. No entanto, o serviço está agora aberto a qualquer amante de cães.


“Descobri que há muitas pessoas que gostam genuinamente de cães e têm uma vasta experiência e cuidar deles, mas não podem comprometer-se com um por várias razões. E com tanto amor por dar, queria que estas pessoas tivessem a oportunidade de cuidar de um cão, pelo menos durante algum tempo”, concluiu.

Como os gatos falam “Eu te amo” – e como você pode responder!

Isso mesmo, os gatos falam “eu te amo”. Na verdade eles falam várias coisas, o tempo todo, nós humanos é que temos um pouquinho de dificuldade para entender… Porque, claro, eles não falam com palavras, falam da maneira deles: com gestos.


E é com um gesto que eles falam “eu te amo”: olham para você e piscam os olhinhos, bem devagar. Só isso. Bem sutil como quase tudo o que eles fazem, mas bem profundo também. Para os gatos, que são tão preocupados com segurança e adoram se esconder em tocas, fechar os olhos na presença de outro animal (ou humano) é uma demonstração imensa de confiança.


Então quando fazem isso por querer e bem devagar, olhando para você, é porque definitivamente querem dizer algo: que te amam muito e se sentem seguros com você. Quem desvendou a piscadinha dos gatos pela primeira vez foi a comportamentalista americana Anitra Frazier. E ela descobriu mais: se piscarmos “eu te amo” para nossos gatos, eles podem piscar “eu te amo” de volta! Fofo assim!


Para aprender a piscar direitinho: pratique no espelho! E enquanto pisca, fale mentalmente E-U-T-E-A-M-O, bem devagar, assim você não apressa demais as coisas. E depois, pisque para o seu miau e espere a resposta!


E se seu peludinho ainda não estiver pronto para “falar”, não desanime! Ele pode demonstrar o amor dele de outros jeitos: indo te cumprimentar na porta, pedindo agrado, ficando perto de você, deitando no seu colo, na sua cama, no seu teclado… É que para alguns gatos o “eu te amo” é simplesmente mais difícil de sair!

Como encontrar um gato perdido?

Recuperar um gato é difícil mas não impossível. No entanto, para que as percentagens de sucesso aumentem é necessário seguir uma série de medidas.


Assim, o que por vezes complica o processo de recuperação do animal é o mito de que “os gatos são independentes, dão um passeio e voltam sozinhos”. Por esta razão, muitos tutores de gatos deixam de procurá-los nos primeiros dias, o que pode significar o desaparecimento deles para sempre por vários motivos: ataque de cães, atropelamentos, envenenamentos, entre outros.


É que, para além do mito de que “o gato volta sozinho”, há um outro factor que dificulta a localização de um gato perdido, mesmo quando ele é procurado assim que desaparece: não procurar nas áreas vizinhas, inclusive, casas, lojas e estabelecimentos vizinhos – como mercados, escolas, armazéns e, especialmente, os prédios em construção, que costumam ser um grande refúgio para gatos.

Se for um gato tímido ou assustado, ficará quieto e escondido sem ser notado.


Os esconderijos favoritos dos gatos

As casas vazias, em reabilitação ou prédios em construção são o grande atractivo para gatos em fuga, uma vez que são locais onde facilmente se podem esconder. Em grandes obras urbanas, como prédios comerciais ou residenciais, há quase sempre gatos perdidos que vivem dos restos de comida.


Aconselhamos também a que o dono do gato perdido espalhe cartazes, anúncios em jornais e divulgue o caso nas redes sociais, mas é preciso focar-se nos locais próximos, inclusive naqueles onde existem cães. É aconselhado, por outro lado, dar uma coleira ao gato –  uma placa com o número de telefone do tutor pode salvar a vida de um gato, assim como o chip.

Apelo - Kiran, gato perdido

Já falei com a dona do Kiran por mail e disse que tenho um gato muito parecido, e  desejo que o Kiran seja encontrado. Deixo aqui o apelo escrito pela dona do Kiran:


O Kiran é um gato adulto, branco com riscas/manchas cremes/douradas e olhos azuis. O pêlo é um pouco felpudo, apesar de não ser de tamanho médio.
Tinha uma coleira azul que poderá já não ter. É um gato muito meigo...



 
Desapareceu em Março de 2007 na Charneca de Caparica (concelho de Almada).
Está habituado a andar na rua, mas nunca desapareceu assim.
Nas "colónias" daqui nunca apareceu.


Não me importo que quem o tenha, desde que lhe dê boas condições, fique com ele. Apenas peço que me informem e me deixem vê-lo. É duro demais não saber o paradeiro dele, se está sequer vivo.

DÁ-SE RECOMPENSA!


Contacto:
Patrícia Curião - 916969503 ou patricia.animalfriends@gmail.com

Apelo no Encontra-me.org:
http://www.encontra-me.org/anuncio/3427

Blog dedicado a ele:
http://kiran_esta_perdido.blogs.sapo.pt/

Pet do Mês - Abril - Porquinhos-da-índia

o-porquinho-da-c3adndia-mais-fofo-do-mundo-4.jpg

 Sociáveis e dóceis, estão sempre prontos para a brincadeira ou para um passeio.

Os Porquinhos-da-índia têm um temperamento sociável e de fácil manejo e, embora adorem uma sesta, estarão sempre dispostos a uma brincadeira ou a um passeio.


Família: Caviidae
Origem: América do Sul, Cordilheira dos Andes
Tamanho médio: Alt: 20-25 cm
Expectativa de Vida: 5-9 anos


Temperamento: Nos primeiros contactos, o Porquinho-da-índia é bastante tímido, pelo que deve ser habituado desde pequeno a conviver com o dono.
Pode mesmo morder se se sentir ameaçado. Desenvolve a sua atividade principalmente durante a noite. O ideal é adquirir um par da mesma ninhada pois não suportam estar sozinhos.


Cuidados a ter: No que respeita a alimentação, este roedor deve comer ração própria para Porquinho-da-índia complementada com alimentos vegetais.

Deve-se dar pequenas quantidades de alimento, três vezes ao dia.


O Porquinho-da-índia precisa de alimentos ricos em vitamina C e de feno permanentemente disponível, fundamental para o desgaste dos seus dentes.


Características inatas: Os porquinhos podem ser carinhosos se adquiridos desde pequenos. Precisam de bastante atenção e adoram mimos, tanto que muitas vezes adormecem quando o recebem. São ótimos companheiros para crianças.

O Pepe no ginásio

O Pepe não é muito de ir ao ginásio... mas com as mensalidades gratuitas, faz bem em ir algumas vezes ao ginásio. Um senhor gato com quase 12 anos e com muita genica.   



Recordo que esse ginásio foi o Tico que ganhou no passatempo do Jumbo Pet Club e tem feito imenso jeito cá por casa. E o exercício faz sempre bem a saúde. Não é mesmo?

Ah, velhos são os trapos.

Sophie e Sarah: as duas cadelas mais conhecidas da Holanda

As cadelas Sophie e Sarah têm oito e cinco anos, respectivamente, são inseparáveis e aproveitam o amor dos seus companheiros humanos pelas viagens para se tornarem em verdadeiras modelos profissionais – ou quase.


Há vários anos que as duas cadelas posam para as fotografias que Cees Bol e Hanneke van de Watering lhes “obrigam” a tirar. De acordo com os donos, Sophie é uma modelo nata – posando facilmente para qualquer câmara; enquanto Sarah tem de ser subornada para permanecer quieta.

“Elas são inseparáveis”, explicou ao Mail Online Cees Bol, que vive em Sibculo, na Holanda. Cees e Hanneke criaram Sophie desde pequena; quando a sua mãe teve outra ninhada, o casal adoptou também Sarah.

“Elas adoram-se, são amigas íntimas. Onde a Sophie está, a Sarah está. E vice-versa, fazem tudo juntas. São como gémeas”, explicou o holandês.

Todas as fotografias desta dupla inseparável vão parar às redes sociais, pelo que, nos últimos anos, Sophie e Sarah ganharam uma grande quantidade de admiradores anónimos. “Vivemos no campo, por isso fazemos vários passeios na floresta. Quando saímos levamo-las connosco, inclusive durante as férias, se possível”, concluiu Cees Bol, um fotógrafo amador.

Cees e Hanneke, aliás, conheceram-se por causa dos cães. Ele tinha um cão, ela dois. Quando Cees precisou de alguém para lhe fazer dogsitting, Hanneke acenou. O romance veio naturalmente.

Pág. 4/4