Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Amigos dos Animais

Este blog tem o intuito de ajudar os nossos leitores a entender melhor os seus animais.

Amigos dos Animais

Este blog tem o intuito de ajudar os nossos leitores a entender melhor os seus animais.

Leucemia felina




O vírus da leucemia felina é uma das doenças infecciosas mais graves que afeta os gatos. Ela é causada por um retrovírus, que uma vez no animal,  pode causar vários problemas, incluindo a transformação de células normais em células cancerígenas malignas. Normalmente, o vírus  impede que a medula óssea produza glóbulos vermelhos e, como resultado, o animal fica muito anêmico.

Jovens gatinhos estão altamente suscetíveis a infecções e doenças causadas pelo FeLV. Gatos adultos e filhotes mais velhos do que 16 semanas parecem ser menos propensos a esta doença, e apresentam uma forte resistência natural a ela. Embora alguns gatos infectados possam viver por muitos anos, o curso da doença difere de animal para animal, dependendo da idade, imunidade e força específica do vírus causador da infecção. Assim que um gato começa a mostrar os sintomas, o tratamento é muitas vezes inútil; gatos, muitas vezes, pioram rapidamente e, então, morrem.

A vacinação contra a doença só é recomendada para gatos com estilos de vida que os colocam em risco de exposição ao vírus. Gatos de rua, gatos que ficam fora e dentro de casa, assim como gatos que podem ser expostos a outros gatos infectados com o vírus devem ser vacinados.

É importante ressaltar que a vacina não protege totalmente contra gatos infectados, por precaução devem ser vacinados filhotes, dar outra dose de reforço três semanas depois, seguida de uma dose de reforço anual.

Frases sobre animais #1

15966503_dtJjZ.jpeg


 

Descubra se o seu gato é surdo

Os gatos são muito independentes e essa característica típica desses animais dificulta saber se nosso bichano é surdo. Todos os felinos costumam nos ignorar diversas vezes quando os chamamos e nos deixam na dúvida se o fazem por ignorância ou por surdez. Por isso, achamos útil dedicar um de nossos artigos a esse tema.


cat-649164_12801.jpg


 


A surdez em gatos é mais comum do que imaginamos e nem sempre é um problema genético, podendo ser causada por alguma doença ou simplesmente pela idade avançada.


Os gatos que mais sofrem de perda de audição congênita são de cor branca, pois a surdez está relacionada com o gene W, o mesmo responsável pela coloração branca dos pelos do felino.


 


No entanto, a surdez também pode aparecer após o nascimento do animal, causada por otite crônica, traumatismos ou qualquer outra causa.


É preciso ter muita paciência com um gato surdo, principalmente se a condição foi adquirida após o nascimento. Um felino que já nasceu surdo não estranha a falta da audição, já que não sabe e nunca conheceu esse sentido, e todos os seus outros sentidos estão aguçados para suprir a capacidade de ouvir. Mas o que podemos fazer para saber se o nosso gato está surdo? Veja os conselhos a seguir:



Faça sons altos


Faça sons altos próximo de onde o seu felino está. Você pode jogar ou bater algum objeto perto dele. Se o gato está surdo, pode nem piscar, mas se a audição estiver perfeita vai reagir ao ruído. Se antes de você fazer o barulho o bichano estava a dormir e nem sequer acordou, sem dúvidas ele perdeu a capacidade de ouvir.


 


Miados fortes


Se o seu gato mia muito alto, é possível que não possa controlá-los porque está surdo. Se ele não consegue ouvir a si próprio, não pode saber a potência com que emite os sons.



Chame-o para saber se o seu gato é surdo


Se depois de chamar várias vezes o seu gato não vai até você, é muito provável que tenha perdido a audição. Quando convivemos vários meses ou anos com um felino, é possível que ele ignore alguns de nossos chamados, mas é praticamente impossível que ele ignore todos os nossos chamados.


 


Balança ao caminhar


Se o felino perdeu a audição, é possível que ele balance ao caminhar. A surdez pode afetar o equilíbrio e fazê-lo se sentir desorientado. Observe-o, pois este é um sinal de que algo está errado.



Bata palmas


Quando o bichano estiver dormindo, aproxime-se a bata palmas sobre sua cabeça. Se ele não se mover ou não fizer nenhum movimento, não resta dúvidas de que está surdo.


 


Vá ao veterinário


Se mesmo depois de fazer todos os passos acima você ainda não tem certeza se seu gato está surdo, o melhor é ir ao veterinário para que ele realize exames criteriosos e determine se o seu peludo perdeu ou não a audição.


 

O Pepe está constipado...

Estou a tratar a constipação do Pepe, tem feito muito frio e como já tem uma idade, ficou constipado. Tem espirros e até a miar parece rouco... Tem dormido sempre enrolado nas mantinhas como ele gosta. Está a tomar um xarope receitado pelo vet. Atchimm...


DSCN0529.JPG


ScreenShot002.jpg


 

Donos de animais mais felizes e saudáveis

Se você tem um animal de estimação, ou vários, certamente é uma pessoa feliz. Mas agora esta felicidade parece estar certificada por estudos científicos que também revelam que a convivência com animais domésticos faz com que os donos destes animais sejam mais saudáveis.


19071643_En1Y3.jpeg


 


A pesquisa foi realizada pela Universidade Miami, de Ohio (Estados Unidos) e assinala também que os donos de animais de estimação possuem uma autoestima maior tendem a ser menos solitários e temerosos e também mais extrovertidos. Os pesquisadores concluíram que os animais de estimação produzem benefícios psicológicos e físicos em seus donos e são uma fonte importante de apoio social.


 


E que, além do já conhecido suporte que dão a pessoas com diferentes problemas de saúde, também manifestam consequências positivas em pessoas saudáveis.


Na lista das coisas boas que os nossos queridos animais de estimação nos trazem, além de todo amor, encontram-se:


 



  • Maior felicidade;

  • Menos stress;

  • Motivação para realizar exercícios físicos;

  • Diminuição da pressão arterial;

  • Colesterol estável;

  • Redução do risco de doenças cardiovasculares;

  • Maior possibilidade de sobrevivência após um ataque cardíaco.


 


Também, uma pesquisa da Universidade da Austrália Ocidental indicou que mais de 70% das pessoas que possuem animais de estimação afirmaram que nunca, ou muito raramente, se sentem sozinhas.


 


Interagir com gatos, cães ou com outros animais que você possa ter escolhido, traz inúmeros benefícios para todas as idades. Comprovou-se que as crianças que crescem com animais de estimação tendem a ser mais responsáveis, disciplinadas, compassivas, cooperantes e generosas.


 


Em relação aos idosos, os animais de estimação não só elevarão a autoestima deles, mas também irão proporcionar uma ocupação e uma responsabilidade quotidiana que por sua vez será correspondida com afeto. Também potencializarão a vitalidade e reduzirão os sentimentos de tristeza, de ansiedade e da temida depressão.


 

Porque o seu gato gosta de dormir em cima de você

Chega a hora de ir para a cama e parece que o ritual se cumprirá mais uma vez: enquanto você se prepara para se deitar, seu gato espera a possibilidade de uma noite muito perto de você… tão perto que ele até escolhe ficar em cima de seu corpo para descansar. Por que ele tem esta atitude?

dormir com gato

1. Porque se sente seguro
Quando são bebés, os gatos dormem muito próximos da sua mãe. Por uma questão de instinto, agora a mãe é você. Então, ele repetirá seus hábitos dos primeiros meses de vida. Se seu animal de estimação quer dormir em cima de você, é porque ele quer se sentir seguro. Ao estar em contato com você, ele sabe que nada de ruim poderá lhe acontecer.


2. Para se sentir mais confortável

Não importa se você comprou para ele a cama mais cara e um colchão que é mais alto do que o seu… não há nada que ofereça mais comodidade do que o corpo do dono. Ele aproveitará cada curva disponível para colocar suas patinhas, a barriga ou cabeça e assim ficará por várias horas.


3. Devido ao calor

Os animais costumam dormir estendidos sob o sol para receber calor de forma natural. De noite, como não há sol, devem prover-se de calor de alguma outra fonte. E seu corpo é perfeito para isso! No inverno, eles desejam ainda mais poder dormir entre suas pernas e os cobertores.

 

4. Para proteger nossa alma

Nem tudo na vida do gato gira em torno de suas necessidades ou desejos. Ele também está alerta para cuidar de seu dono e o proteger, caso algo ruim aconteça. Os felinos se conectam às pessoas de uma forma mais que especial, através de sua energia. Eles podem ver a aura e detectar as energias más ou negativas que querem se apoderar de nós.


5. Para demonstrar amor

Quem disse que os gatos são ariscos e não nos amam? Se seu felino prefere dormir em cima você é porque ele te ama com paixão. Essa é uma das maneiras que ele tem para expressar o que sente, sem palavras e sem atos afetivos muito notórios (como quando um cão move a cauda ao chegarmos).

 

6. Porque recorda seu passado

Os gatos sempre estão relembrando as épocas de recém-nascido, quando estavam aos cuidados de sua mãe. Por esse motivo, se além de dormir em cima de você, ele também te “amassar” com suas patinhas dianteiras, ele está colocando em ação um ato reflexo de quando se alimentava com o leite materno. Sem dúvida é outra demonstração de afeto da parte dos felinos e que é o mais importante para eles.

 

 

História do passeio de uma gata

Essa gatinha fofa tem uma história incrível. Ela tem o costume de dar uma passeio, na verdade ela foge sempre, todos os dias no mesmo horário. O seus donos sempre ficaram intrigados e queriam muito saber o que ela fazia, até que certo dia a verdade veio a tona.


gato2.png


 


Em um dia como outro qualquer a gatinha voltou para a casa com uma carta fixada em seu corpo e o que estava escrito nela era surpreendente.


 


”Eu não sei de quem é esta gata, mas ela tem vindo nos visitar toda semana. Ela mia do lado de fora da nossa porta até que nós a deixemos entrar. Aí ela caminha por toda a casa, como se fosse dela, e espera sentada na frente do frigorífico até que meu marido dê a ela um pedaço de mortadela. Ela não gosta muito de saquetas de gato! Nós sempre esperamos ansiosos pelas suas visitas, pois perdemos nosso gato de 21 anos este ano.”


Uma linda e verdadeira história que mexe com o coração de quem ama animais!


 

Convivência entre filhos e gatos

baby.jpg


 


Passei anos da minha vida evitando ter filhos por causa dos meus gatinhos. Tinha muitos medos. Meu marido e eu pensávamos: e se ele tiver alergia a gatos? E se os gatinhos não se adaptatem a chegada do bebê?


 


Mas como a vontade de ter filhos aumentava, decidi fazer pesquisas para ver se nossos medos e ansiedades tinham fundamento. Felizmente, pude ver que os medos são maiores que os fundamentos.


 


Primeiro, gatos e crianças podem se dar muito bem se forem adaptadas a isso. E o convívio com animais desde pequenos pode ajuda-los a se tornarem adultos que amam, respeitam e não maltratam animais. Também os tornam crianças mais responsáveis porque eles têm a tarefa de cuidar bem do seu gatinho. Outro fato importante é que se você e seu marido não têm alergias por causa de animais e você passou sua gravidez na agradável companhia desses amáveis amigos será muito improvável que seu filho seja alérgico. Seus gatos serão mais sociáveis e seus filhos crianças mais responsáveis e generosas. Nunca me arrependi das escolhas que fiz: ter gatos e filhos. Sou muito mais feliz agora e para mim todos são filhos, apenas as necessidades e capacidades de se expressar são diferentes.


 

Os 10 Mandamentos felinos

10mandamentos.JPG


 

Porque os Gatos Não devem "Dar uma Voltinha na Rua"

Quantas vezes ouvimos dizer que o gato saia pra dar uma voltinha e um dia sumiu? Gatos não somem. São roubados, mortos em brigas com outros gatos ou atropelados.


Pesquisas comprovam que gatos que não tem acesso a rua vivem em média 15 anos, enquanto que gatos que dão seus passeios sozinhos fora de casa tem uma vida média de apenas 3 anos.


doencas_rua1_3101111337210.jpg


 


Mas os gatos se adaptam a rotina e ao ambiente e não tem necessidade nenhuma de sair. Um gato pode passar a vida toda sem ter acesso a rua e ser muito feliz e saudável.


Na rua os gatos estão sujeitos a atropelamentos, quedas, ataques de cães, brigas com outros gatos, envenenamento, acidentes e maus-tratos.


 


Além do alto risco de doenças como a rinotraqueite que pode ser fatal para filhotes e gatos debilitados e das doenças incuráveis e fatais para qualquer idade como a PIF(Peritonite Infecciosa Felina), FIV(Imunodeficiência Vira Felina) e FELV (leucemia Felina). Essas doenças são transmitidas apenas entre gatos, mas com muita facilidade porque basta o contato com secreções corporais como em brigas, acasalamentos ou até lambidas para que o gato se contamine.


 


Outra doença que causa preocupação é a toxoplasmose a qual os gatos de rua ficam susceptíveis ao caçar ratos, pombos, etc., podendo inclusive contaminar o homem.


Outro inconveniente são parasitas como pulgas, carrapatos e até sarna que podem ser trazidos da rua e infestar a casa e outros animais.


Também é importante lembrar que gatos não castrados podem se reproduzir com muita facilidade o que se torna um grande problema de superpopulação em pouco tempo.


 

Pág. 1/4