Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Amigos dos Animais

Este blog tem o intuito de ajudar os nossos leitores a entender melhor os seus animais.

Amigos dos Animais

Este blog tem o intuito de ajudar os nossos leitores a entender melhor os seus animais.

Dicas para poupar com seu animal de estimação

 Se vê o seu animal de estimação como um membro da família, mas ao mesmo tempo quer saber como não ultrapassar o seu orçamento mensal em despesas relacionadas, conheça as nossas dicas para poupar em comida e cuidados veterinários.


Escolha uma alimentação cuidada para poupar a longo prazo em consultas

Escolher a alimentação de acordo com as características do animal é outra forma de manter a sua saúde. Algo tão simples como escolher ração para gatos de interior ou uma ração de dieta para gatos com pouca actividade, vai contribuir imenso para manter o seu animal saudável durante muito tempo.  É provável que este investimento venha a traduzir-se numa poupança em cuidados veterinários.
A par deste cuidado, aposte  na investigação e aprenda a ler e interpretar os rótulos das rações, para saber  escolher as mais saudáveis e menos artificiais.

Aposte na personalização de acessórios / do it yourself

Felizmente, os animais não são materialistas, logo nunca saberão se realmente lhe comprou brinquedos ou não. Com um bocadinho de jeito e paciência, consegue fazer todos os brinquedos de que o seu cão ou gato precisa em casa, com materiais do dia a dia.

Compre em quantidade
Esta dica que é válida também para outras coisas, conforme explicamos neste artigo, pode também ser aplicada aos itens relativos aos animais. Esteja atento às campanhas de desconto dos hipermercados e dos principais blogs que comunicam descontos.

Nas férias, troque os hotéis por amigos ou conhecidos de confiança
As férias são sempre uma época complicada para os donos dos animais de estimação, pois nem todos os hotéis e apartamentos turísticos aceitam animais. Então porque não pedir a um familiar ou amigo de confiança para fazer pet-sitting por um valor mais simpático?

As nossas dicas para poupar com o seu animal (ou animais) de estimação focam-se mais na poupança a longo prazo e não em poupanças imediatas. Se souber de mais dicas deste género, não hesite em partilhá-las connosco nos comentários abaixo!

A Assembleia dos Ratos – Fábula de Esopo

Era uma vez uma colônia de ratos, que viviam com medo de um gato. Resolveram fazer uma assembleia para encontrar um jeito de acabar com aquele transtorno. Muitos planos foram discutidos e abandonados. No fim, um jovem e esperto rato deu uma excelente ideia:
-Vamos pendurar uma sineta no pescoço do gato e, assim, sempre que ele estiver por perto ouviremos a sineta tocar e poderemos fugir correndo.
Todos bateram palmas; o problema estava resolvido. Vendo aquilo, um velho rato disse:
– O plano é inteligente e muito bom. Só falta uma coisa: quem vai pendurar a sineta no pescoço do gato?

Moral da história: Falar é fácil, fazer é difícil.

Música para gatos

Qual é a melhor música para gatos? Bom, qualquer tipo de música clássica que você perceber que faça com que seu felino fique tranquilo é boa. Porém, há composições criadas especialmente para eles.




Um estudo realizado em Wisconsin sobre o efeito terapêutico da música nos gatos, concluiu-se que os sons naturais para os bichanos eram os que estavam, em média, uma oitava mais alta que os sons feitos para as pessoas.

Assim, decidiram criar uma música especialmente para os felinos. Por exemplo, incluíram trechos com o ronronado felino e com ritmos de sucção. Para se provar este estudo, 47 gatos foram expostos ao som da música de Bach. Mas eles não reagiram, absolutamente.

Porém, ao escutarem a criada com base nos sons felinos, a coisa mudou. Todos os gatos se entusiasmaram e ao ouvi-la e inclusive se aproximaram dos alto-falantes para esfregar o nariz. Com esse experimento, acredita-se que seria possível relaxar nossos pets sem a necessidade de medicamentos.

Portanto, a música influi de maneira benéfica nos gatos. Só nos resta saber escolher a mais adequada para os nossos amigos felinos.

Dicas para ajudar um cão assustado por ruídos

 Há barulhos diferentes que causam ansiedade em nosso cão e até mesmo geram taquicardia. Uma ambulância, chuva, um estrondo, fogos de artifício… Alguns permanecem impassíveis a estes sons.

Há alguns truques para tentar ajudar um cão assustado. Sabemos que como donos (as) com certeza deve se sentir mal ao vê-lo sofrer assim.


Crie uma área segura. Quando seu cão ouve ruídos que despertam medo, é normal que ele queira fugir ou se esconder. Os animais não pensam, mas agem por instinto. Lembre-se de que, se houver móveis ou outras coisas que impeçam o caminho do seu cão durante a fuga ou tentativa de se esconder, que isso poderá causar ferimentos nele.

Se você acha que, por exemplo, vai ter fogos de artifício, abra caminho para que seu cão se esconda debaixo da cama ou em qualquer lugar que ele costuma fazê-lo.
Ou que seu cão correrá para a transportadora, é melhor remover a porta e deixar a caixa em um local em que ele pode vê-la. Claro, sem qualquer objeto que obstrua a passagem.

Você não pode se antecipar a outros ruídos, como outros fogos de artifício, ambulâncias ou algum estrondo, mas prepará-lo durante os eventos programados fará com que ele se sinta mais seguro e confiante sempre. E, acima de tudo, não se preocupe. Medo de barulho é algo inato em cães e ainda não sabemos bem o porquê. Talvez, incomode-os por ouvirem com muito mais precisão do que nós.

Miados em excesso: um pedido de ajuda

Os gatos miam exclusivamente para comunicar-se com as pessoas, gatos adultos não miam uns para os outros (leia mais sobre isso aqui). Eles miam perto do prato de ração para avisar que está na hora de comer, ao nosso pé para pedir atenção, quando chegamos em casa para dizer olá.


O miado em excesso normalmente vem de algum desequilíbrio. O gato pode miar excessivamente por algum desconforto físico e/ou emocional e é fundamental descobrir a causa para resolvê-la e manter o bem-estar do peludo.

Caso tenha dificuldade para perceber o problema, tenha em mente que a maioria dos desequilíbrios emocionais em gatos vem da falta de brincadeiras (brinque muito!) e falta de um ambiente enriquecido (lugares para escalar, se esconder, arranhar), portanto esses podem ser bons pontos de partida.

Solidão e dependência também são causas comuns de miados excessivos. Se seu peludo é sozinho, adote uma companhia para ele. Por outro lado, para manter o ambiente em harmonia, certifique-se de que o espaço é adequado para a quantidade de gatos que você tem.

Miados causados por desequilíbrios emocionais podem ser agravados quando você recompensa o comportamento indesejado, ou seja, dá ao gato o que ele quer. Seja paciente e, sempre que desanimar, lembre-se que o miado em excesso é um pedido de ajuda e o gato precisa de si para recuperar o equilíbrio e viver bem.

Frases sobre animais #4


Amizade entre um Gatinho e rinoceronte órfãos

Mewie e Nandi ficaram ófãos ainda bebês, mas apesar das diferenças, encontraram um ao outro e se tornaram grandes amigos. O gato Mewie foi resgatado quando era ainda pequenino e criado por uma mãe humana, Jamie Traynor, que mora e trabalha em um orfanato para rinocerontes, o The Rhino Orphanage, em Limpopo, África do Sul.


A rinoceronte Nandi perdeu a mãe, que foi morta por caçadores, quando tinha apenas dois meses e a pequena ficou vagando sozinha, comendo terra para tentar matar a fome. Ela foi resgatada pelo orfanato e passou a viver sob os cuidados de Jamie – e Mewie.

Jamie conta que o gato não teve medo da rinoceronte, mesmo ela sendo muito maior que ele (190 Kg e crescendo!). Nandi ficou curiosa com o pequeno bicho peludinho e logo passou a gostar dele. Hoje eles vão juntos fazer caminhadas pelo santuário, e, quando um se afasta muito, o outro corre para alcançar.

Nandi também está fazendo amizade com outros rinocerontes órfãos enquanto recupera as forças para futuramente poder voltar à liberdade que merece. E, quando isso acontecer, Mewie estará pronto para acolher novos rinocerontes orfãos.

O perigo dos sacos de plástico


Chega a casa, depois das compras e conforme vai guardando as compras, deixa os sacos plásticos num lugar que o seu gato tem acesso. Então descobre que seu bichinho achou um brinquedo novo. Acha tão engraçado vê-lo distraído com o saco e fica com pena de lhe tirar o "brinquedo". Sem saber que está expondo o seu gato a um risco de vida.


O primeiro, e mais óbvio, é o risco de asfixia. Mas esse não é o único risco. O simples facto de ingerir plástico já é um grande problema, pois não sabemos exactamente sua composição química ou se é reciclado; e os produtos usados na sua composição podem levar a uma intoxicação.

Por ser um objecto estranho ao sistema digestivo do animal, normalmente causa irritações como vómito e/ou diarreia (chegando à diarreia de sangue). Mas existe ainda um outro risco que poucas pessoas se lembram, mas não menos perigoso: o animal pode ficar preso nas alças do saco.

 Se o seu gato gosta dos sacos porque não dar antes uma caixa de cartão? Até serve como arranhador e eles gostam de se esconder lá dentro.

"Dar-se como o cão e o gato" é uma verdade ou um mito?

Um mito, sem dúvida! Costuma dizer-se que são "como o cão e o gato" quando duas pessoas não se dão bem uma com a outra. Mas a verdade é que cães e gatos, se forem apresentados corretamente, sobretudo quando são ainda jovens, a amizade entre eles é perfeitamente permissível.


Os gatos são, por natureza, brincalhões e desconfiados, enquanto os cães podem ser mais agressivos, o que pode dar reações menos agradáveis num primeiro encontro que não esteja sob supervisão. A observação das regras fundamentais na apresentação é essencial para evitar estes comportamentos e terem um convívio fácil.

Alimentos para a higiene dental canina

Esse tipo de alimento é preparado especialmente para cuidar e manter a higiene dos dentes dos cães.

Previnem a cárie e o mau hálito e contêm aromatizantes naturais. Esses têm uma textura dura, por isso ao mastigá-los, eles ajudarão a arrastar os restos de alimentos da boca do cão.


Esses alimentos se apresentam de diversas formas, como palitos, biscoitos ou ossos.

O alimento criado especificamente para os cães contém tudo o que é necessário para sua saúde.

De fato, existem alguns que eliminam a cárie, porque têm ingredientes capazes de captar o cálcio da saliva. Além disso, contêm substâncias que aderem aos dentes e evitam o acúmulo da cárie.

As rações, por exemplo, têm um tamanho e textura criada, especificamente, para que o animal tenha dificuldade de quebrá-los e se veja obrigado a mastigá-lo mais. Isso o ajudará na eliminação da placa bacteriana e da cárie.

Biscoitos e guloseimas são alimentos que os cães mais gostam. Quase todas foram fabricadas com o intuito de cuidar da arcada dentária de seu bichinho e você poderá encontrá-las de mil formas diferentes.

Pág. 1/3