Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Amigos dos Animais

Este blog tem o intuito de ajudar nossos leitores a entender melhor os seus animais.

Amigos dos Animais

Este blog tem o intuito de ajudar nossos leitores a entender melhor os seus animais.

Frases sobre animais #18

19.jpg

Nunca ofereça pipoca ao seu cão

Estamos prontos para ver um filme sentados no sofá com um grande balde de pipoca. Quem poderia ser melhor companheiro para uma tarde ou noite de cinema que o seu cão? Ele ficará deitado ao seu lado, não irá interromper, não contará o final do filme e não dirá nada se tiver medo. Mas por nada neste mundo compartilhe sua comida com ele durante essa atividade.


palomitas-.jpg


 


Nos dias frios, chuvosos ou de férias, podemos aproveitar o nosso tempo com aquele que está sempre ao nosso lado: o nosso cão. Sem dúvida é a melhor opção para o inverno ou para quando não temos dinheiro para ir a festas. E quando pensamos em um filme, automaticamente nos imaginamos com um enorme pote de pipoca, crocante, quentinha e saborosa. E é nesse momento que surge uma dúvida: podemos oferecê-la para o nosso cão?


 


Como primeira medida, devemos lembrar que não podemos dar ao nosso cão os mesmos alimentos que comemos. No caso da pipoca, não é algo muito nutritivo (nem para humanos e nem para cães). É importante salientar que, além da pipoca com manteiga, o sal ou açúcar adicionados ao alimento podem causar danos à saúde digestiva do animal. A ingestão excessiva pode causar intoxicação, vômito ou diarreia.


 


A ingestão de pipoca também oferece risco de asfixia, especialmente no caso de cães pequenos. Os grãos maiores podem ficar presos na garganta, já que é provável que o animal não os mastigue. Além disso, os grãos de milho que não estouraram podem ficar presos nos dentes ou nas vias aéreas.


 

A elegância felina dos gatos siameses

Os gatos siameses, além de elegantes, são tranquilos, mas também muito curiosos. Dentro da raça siamesa, existem duas variedades. As formas arredondadas de seu corpo e rosto, o focinho pequeno, os olhos alongados e azuis, a cauda curta com ponta redonda são algumas das características dos gatos siameses tradicionais.


gato-siames-2.jpg


Trata-se de um animal elegante e esbelto, com focinho fino e olhos amendoados, pescoço longo e fino, pelagem clara no corpo e escura nas orelhas, rosto, pernas e cauda. Assim como a maioria dos felinos, são muito independentes. No caso do gato Siamês, ao mesmo tempo em que são fieis aos seus donos, nunca se submeterão por completo e podem até demonstrar seu agrado ou desagrado através de miados.


 


É um gato bastante afetuoso (demonstra carinho com frequência) e se sente muito ligado aos seus proprietários. Pode ser muito sociável e, inclusive, curioso. Esta última é a sua principal qualidade. Embora seja normal nos felinos, nos siameses, é um traço que aparece com mais intensidade. Por outro lado, é muito ágil, devido a sua constituição física e sua musculatura. A hiperatividade e energia dos gatos siameses faz com que se pareçam com as demais raças asiáticas. É muito brincalhão e alegre.


 


Acima de tudo, um Siamês é extremamente sociável, inteligente e vivaz. Também são gatos sensíveis e afetuosos, que ronronam com muita facilidade e podem escolher uma só pessoa como dono absoluto (você saberá quem é porque é a ele que o gato pede mimos e atenção). Entre os aspectos positivos dessa raça (que pode apresentar estrabismo em seus olhos) vale a pena destacar seu pelo curto, que não requer muitos cuidados e que é limpo por natureza.


 

Porque os cães cuidam dos bebés?

Construir e reforçar uma boa relação entre o cão e as crianças da casa, incluindo os bebés, é essencial tanto para estimular este instinto protetor como para conseguir uma boa convivência entre todos os membros da família.


472441_97176.jpg


 


Costumamos dizer que o cão é o melhor amigo do homem e a verdade é que um cão amado e bem treinado cria um vínculo muito forte com todos os membros da família, incluindo as crianças e os bebés. Alguns cães desenvolvem um instinto protetor em relação à sua família, o que faz com que cuidem delas em qualquer momento, chegando até a ter atitudes agressivas perante quem consideram uma possível ameaça.


 


Todos os cães são capazes de manifestar este instinto protetor em relação a crianças e bebés, embora sejar mais forte em raças que foram treinadas para a defesa, como é o caso do pastor alemão, o rottweiler ou o doberman.


 


Da parte do grupo social, o cão recebe carinho, alimento e cuidados, pelo que qualquer possível ameaça faz com que ele sinta a necessidade de proteger os seus membros, tanto para retribuir todo o amor recebido como para assegurar a sua própria sobrevivência.


 


Com o passar dos anos, o bebê cresce e pode ajudar a cuidar do cão, o que também lhe transmitirá o valor da responsabilidade. Podem se converter em grandes amigos, uma vez que o amor que os cães dão às crianças é incondicional.

Pág. 5/5