Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Amigos dos Animais

Este blog tem o intuito de ajudar os nossos leitores a entender melhor os seus animais.

Amigos dos Animais

Este blog tem o intuito de ajudar os nossos leitores a entender melhor os seus animais.

O instinto caçador do gato

A habilidade caçadora dos gatos domésticos manteve-se de geração em geração e, mesmo que hoje não precisem de caçar para sobreviver, no seu ambiente prazenteiro continuam a mostrar este instinto caçador com as brincadeiras.

O instinto caçador do gato

É evidente, que os atuais gatos já não precisam sair a capturar o seu alimento posto que o recebem comodamente na sua casa. Mas continua a ser muito importante para o seu bem-estar, que possam expressar todo o seu comportamento caçador como faziam os felinos antigamente. Por este motivo é muito recomendável realizar exercícios e jogos para estimular este instinto de caça.

 

- Espreitar e procurar: pode esconder comida em diferentes lugares da casa ou do jardim. Com este simples exercício, o gato poderá realizar o exercício de procura e captura que tanto gosta.

 

- Perseguir e capturar: brinque com o seu gato e faça-o com brinquedos em movimento que o obriguem a saltar sobre estes objetos. Para isso é aconselhável que o brinquedo seja macio e o suficientemente grande para que o possa morder e empurrar para o levar sem problema.

 

É importante proporcionar estas oportunidades ao gato para promover o seu comportamento de procura e captura, o que afinal se traduz em riqueza ambiental para o animal.

Pulgas em gatos de casa

As pulgas são parasitas que entram em nossas casas, muitas vezes agarrados aos sapatos de rua. Neste sentido, não é preciso os gatos irem à rua para apanhar pulgas.

As nossas casas podem ser muito convidativas durante todo o ano, mesmo no período em que as temperaturas estão mais baixas.

Pulgas em gatos de casa

Os ovos das pulgas ficam “armazenados” em várias zonas da casa como, por exemplo:

- nos tapetes
- debaixo dos móveis
- dentro do saco do aspirador

 

As larvas nascem nesses locais e dão origem a pupas, que sobrevivem sem contacto animal durante meses. É só após atingir a fase adulta que a pulga precisa de um hospedeiro para se alimentar e reproduzir o ciclo e pôr mais ovos.

Por isso mesmo, devemos tratar o gato todo o ano, utilizando para o efeito produtos inseticidas como pipetas, coleiras ou comprimidos, sempre de acordo com as indicações do veterinário.


Se o seu gato viaja de carro habitualmente, o automóvel e a caixa de transporte também devem ser bem limpos.

Isto porque as pulgas podem alojar-se nesses locais.
Os tecidos (mantas, caminhas de pano, etc) também são locais onde podem existir pulgas.

Deve lavar a temperaturas altas, na máquina, para assegurar que as elimina eficazmente.

 

Cão de água português: um pescador nato

O Cão de Água Português é um nadador excecional. A ligação entre esta raça e a pesca no Algarve era tão forte que chegou a ser chamada do Cão de Água Algarvio.

Cão de água português


Assim, tinha diversas funções de apoio aos pescadores, nomeadamente:

- guiava os cardumes de peixes para as redes
- recuperava objetos de dentro de água
- levava mensagens de barco em barco
- avisava em risco de colisão entre barcos, com pouca visibilidade

 

O Cão de Água Português esteve praticamente extinto, só tendo sido salvo pelos pescadores algarvios. De facto, enquanto no resto do país os métodos de pesca evoluíram, no Algarve ainda continuaram a usar estes cães, por muito tempo.

 

Hoje em dia, os tempos de pescador ficaram para trás. É um ótimo cão de companhia e apreciado para quem mora em apartamentos. Pois quase não deita pelo, nem tem cheiro. Outra curiosidade do Cão de Água Português é o facto de ter sido escolhido como cão da família Obama.

 

Cuidados ao ter cobras como animais de estimação

Antes de decidir se você deve ou não ter uma cobra como animal de estimação, leve em consideração vários aspectos. De fato, os especialistas não recomendam ter cobras como animais de estimação para aqueles que não têm experiência anterior com répteis .

Cuidados ao ter cobras como animais de estimação

Se você quiser ter um vínculo emocional com um animal de estimação, uma cobra não é o que você precisa. Elas não expressam sentimentos, como é o caso dos gatos ou cães, e os estudos têm comprovado que elas não mostram nenhum afeto por quem cuida delas e as alimenta.

 

Este é um fator a ser lembrado, já que as cobras não se alimentam de nada além de ratos e outros pequenos vertebrados. Você tem condições de obter este tipo de alimento para o seu animal de estimação? Caso não tenha, talvez seja melhor escolher outro animal para ter em sua casa.

 

Mesmo que a cobra não seja venenosa ou seja pequena, existem riscos em ter um animal com essas características em casa. Portanto, você deve analisar muito bem antes de decidir se este é o animal de estimação que você quer em sua vida.

Recebemos um presente

Essa semana chegou este presente de um membro aqui do blog, uma linda abelha que é um mini arrranhador para os felinos cá de casa.

Obrigada pelo presente, o Pepe e Gattuso adoraram!

Gattuso e o presente

 

Crenças sobre o canto dos grilos

Existem muitos mitos em relação a esses insetos cantores que transcendem fronteiras e gerações. A maioria deles é muito positiva.

Crenças sobre o canto dos grilos

Boa sorte. Há muitos séculos, principalmente na cultura asiática, eles são considerados provedores da boa sorte. Muitas pessoas provavelmente ouviram as avós dizerem para não matar os grilos.


Proteção. Os grilos costumam ficar em silêncio quando alguém se aproxima. Isso levou algumas pessoas a considerá-los inteligentes e alertas. Assim, ter um grilo cantor poderia ser útil para identificar intrusos. Por esta razão, diferentes amuletos com a sua figura começaram a ser usados.


Boa safra. Muitos agricultores ficam felizes com o canto dos grilos. Eles acreditam que, se ele aparece, é porque haverá chuvas que vão favorecer o seu trabalho.

O que você acha de todas essas curiosidades? Certamente, este é um inseto muito especial.

 

Qual o osso que o cão não tem?

Embora o corpo dos humanos e dos cães tenha uma estrutura óssea semelhante, há um osso que o cão não tem. Trata-se da clavícula. Em vez de terem um osso a fixar o membro torácico ao tronco, este papel é desempenhado por músculos.

No final, a clavícula não faz falta! E esta curiosidade é o que possibilita um grande comprimento de passada nas corridas, e saltos, dos nossos amigos.

  Embora o corpo dos humanos e dos cães tenha uma estrutura óssea semelhante, há um osso que o cão não tem. Trata-se da clavícula. Em vez de terem um osso a fixar o membro torácico ao tronco, este papel é desempenhado por músculos.  No final, a clavícula não faz falta! E esta curiosidade é o que possibilita um grande comprimento de passada nas corridas, e saltos, dos nossos amigos.

Gato e cão, serão assim tão diferentes?

Mito ou realidade? Os gatos e os cães não se entendem porque são muito diferentes? Na verdade, têm algumas diferenças mas podem viver em comunidade de forma pacífica!

Veja as principais características de cada um.

Gato e cão, serão assim tão diferentes?

 

Porque é que os gatinhos da mesma ninhada não são sempre parecidos?

As gatas têm ninhadas, habitualmente, de 3 a 5 gatos. Há também registos de ninhadas mais numerosas. No entanto, um facto que pode parecer estranho é os irmãos da mesma ninhada serem, por vezes, tão diferentes.

Porque é que os gatinhos da mesma ninhada não são sempre parecidos?

Na verdade, a gata pode ter sido fecundada por vários gatos, no seu período fértil. A este fenómeno dá-se o nome de superfecundação.

Assim, os gatinhos são irmãos e ocupam o útero ao mesmo tempo, mas a sua origem paterna é diferente. Este facto curioso está associado a uma questão de prolongamento da espécie.

 

Assim, quantas mais vezes a gata for fecundada, maior a probabilidade de vir a ter maior número de gatinhos. Para a mãe gata, pouco importam as diferenças. Os gatinhos são todos dela.

Passeios e calor: Como evitar os golpes de calor

As temperaturas altas são um enorme perigo para os cães, que por vezes muitos donos se esquecem. Os cães têm dificuldade em regular a temperatura do seu corpo. Por isso, sofrem com os picos de maior calor, que podem ser bastante graves e até fatais para a saúde do seu patudo.

Passeios e calor: Como evitar os golpes de calor

Assim, além dos cuidados habituais associadas ao calor, é importante ter atenção aos passeios. Nomeadamente, às horas e aos caminhos escolhidos quando passeia o seu cão.

Em relação às horas, o ideal será passear o seu cão ao início da manhã, ao final da tarde ou noite. Só nessa altura será possível ao cão dar um passeio agradável, fresco e sem sofrer com o calor.

 

Quanto aos caminhos, é possível que tenha as suas rotinas já instaladas. Mas veja se o caminho habitual não oferece sombras ou um se o piso está muito quente. Se assim é, procure alternativas que dêem melhores condições. Um passeio à sombra e que não aqueça demasiado (como é o caso do alcatrão bastante prejudicial às patas do seu cão) será uma melhor sempre a melhor opção.

Ajustando alguns horários e percursos, garanta que o passeio é benéfico para o seu cão. E para si também!

Pág. 1/2