Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Amigos dos Animais

Este blog tem o intuito de ajudar nossos leitores a entender melhor os seus animais.

Amigos dos Animais

Este blog tem o intuito de ajudar nossos leitores a entender melhor os seus animais.

Cão de água português: um pescador nato

O Cão de Água Português é um nadador excecional. A ligação entre esta raça e a pesca no Algarve era tão forte que chegou a ser chamada do Cão de Água Algarvio.

Cão de água português


Assim, tinha diversas funções de apoio aos pescadores, nomeadamente:

- guiava os cardumes de peixes para as redes
- recuperava objetos de dentro de água
- levava mensagens de barco em barco
- avisava em risco de colisão entre barcos, com pouca visibilidade

 

O Cão de Água Português esteve praticamente extinto, só tendo sido salvo pelos pescadores algarvios. De facto, enquanto no resto do país os métodos de pesca evoluíram, no Algarve ainda continuaram a usar estes cães, por muito tempo.

 

Hoje em dia, os tempos de pescador ficaram para trás. É um ótimo cão de companhia e apreciado para quem mora em apartamentos. Pois quase não deita pelo, nem tem cheiro. Outra curiosidade do Cão de Água Português é o facto de ter sido escolhido como cão da família Obama.

 

Qual o osso que o cão não tem?

Embora o corpo dos humanos e dos cães tenha uma estrutura óssea semelhante, há um osso que o cão não tem. Trata-se da clavícula. Em vez de terem um osso a fixar o membro torácico ao tronco, este papel é desempenhado por músculos.

No final, a clavícula não faz falta! E esta curiosidade é o que possibilita um grande comprimento de passada nas corridas, e saltos, dos nossos amigos.

  Embora o corpo dos humanos e dos cães tenha uma estrutura óssea semelhante, há um osso que o cão não tem. Trata-se da clavícula. Em vez de terem um osso a fixar o membro torácico ao tronco, este papel é desempenhado por músculos.  No final, a clavícula não faz falta! E esta curiosidade é o que possibilita um grande comprimento de passada nas corridas, e saltos, dos nossos amigos.

Curiosidades sobre o gato siamês

Este gato vem do Sião, que hoje é conhecido como Tailândia; daí o seu nome. Originalmente, este gato foi adotado e usado exclusivamente como animal de estimação pela família real tailandesa.

gato siames

Nas origens do gato siamês, acreditava-se que este era um grande defensor dos espíritos, uma vez que de alguma forma poderia absorver o espírito do falecido e fazê-lo permanecer vivo, evitando os ataques de espíritos malignos. A fim de mantê-lo vivo o maior tempo possível, o gato foi levado a um templo em que lhe foi oferecida uma vida de luxo.

 

Apesar da reputação de gatos preguiçosos, os siameses são felinos muito ativos. Não é um gato que gosta de ficar sozinho em casa, pois ficará facilmente entediado.

O gato siamês adora miar, e embora já saibamos que todos os gatos têm diferentes miados para se comunicar, este se destaca acima de todos os outros. Ele é capaz de emitir diferentes sons.


Décadas atrás, havia muitos casos de estrabismo em gatos siameses, por isso acreditava-se que isso seria algo intrínseco à raça. No entanto, com o passar do tempo, esse defeito tem diminuído e foi praticamente erradicado.

A lenda da Joaninha

Os seres humanos se identificam, de forma positiva, com a joaninha. A joaninha com seu jeito delicado e engraçado desperta um sentimento de alegria em nós.

joaninha

Há, mais de 5 mil espécies de joaninhas na Natureza.

As joaninhas mais comuns e conhecidas são as que têm casco vermelho com 7 pintas pretas (Coccinella septempunctata), existem também amarelas, laranjas, verdes e pretas.

A sua coloração chamativa espanta e afasta os predadores dela.

A joaninha vive cerca de 180 dias.

 

No folclore europeu e na simbologia católica, existe uma lenda medieval que conta que os insetos estavam infestando as plantações dos fazendeiros.

Desesperados, estes rezaram para Virgem Maria e, após isso, apareceram inúmeras joaninhas que impediram que as plantações fossem devastadas pelos parasitas.

 

De fato, joaninhas na horta protegem as plantas dos pulgões.

A joaninha é conhecida, segundo a tradição medieval, como o "besouro de Nossa Senhora."

A joanina, por isso, está associada à espiritualidade e a fé.